O Impacto nas cozinhas!

Compartilhar

Share on facebook
Share on linkedin
Share on email

A pandemia do novo coronavírus mostra-se um grande desafio para o setor food service. Em pouco menos de 2 meses de isolamento social no Brasil, as consequências já são observadas por pequenos, médios e grandes negócios brasileiros. Nesse momento, o delivery está sendo a melhor alternativa para minimizar os prejuízos. Em contrapartida, especialistas acreditam que os impactos do coronavírus serão ainda mais desafiadores.

Em 2018, a alimentação fora do lar movimentou R$ 205 bilhões no ano, segundo dados do Instituto Foodservice Brasil (IFB). A expectativa era que o setor crescesse ainda mais em 2019 e 2020 mesmo com o país saindo de uma crise. No entanto, institutos, organizações e empresários viram suas projeções irem por água abaixo com a Covid-19.

Já em março deste ano o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, afirmou em entrevista à Agência Brasil que o setor sentia os impactos do isolamento. “Entendemos que a queda de faturamento acontecerá, e acreditamos que vai se estabilizar em torno de 30%”, disse, na ocasião.

Além do turismo, o mercado de alimentação será um dos principais afetados, uma vez que aglomera grandes quantidades de pessoas. No Brasil, por exemplo, restaurantes estão com as portas fechadas, tendo que trabalhar com equipes reduzidas, apostando no delivery como forma de minimizar os prejuízos. Mas a queda de faturamento já é notável.

Quais são os impactos do coronavírus no mercado food service?
Na economia brasileira como um todo, a pandemia do coronavírus pode provocar a pior recessão da história do país. O Bank Of America (BofA) informou em relatório que o PIB brasileiro pode cair 7,7% em 2020. Além disso, a desvalorização do real de 45% em relação ao dólar mostra o impacto da crise global.

Quanto aos impactos no mercado food service, ainda não há como mensurar. É preciso esperar para saber o quanto os países e suas economias foram afetadas. Especialistas também ainda não sabem como acontecerá a reversão da crise, por outro lado apostam em um “novo normal” em que os negócios deverão adaptar-se à situação.

Nesse momento, é importante:

Reajustar as metas
A queda nas vendas já é uma realidade para a maioria das empresas do mercado food service. Por esse razão, reajuste o planejamento e a meta dos seus negócios.

Faça simulações de quedas bruscas em suas vendas e analise o efeito em sua receita. Dessa forma, as decisões quanto ao faturamento serão mais assertivas

.

Manter comunicação com os fornecedores
Nesse momento de pandemia, certifique que o fornecimento de insumos para a sua rede continuará sendo realizado. Portanto, mantenha a comunicação com os fornecedores.

Para preservar o estoque, algumas redes estão usando técnicas de conservação como Cook Chill e Cook Freeze.

Ter uma boa gestão
Um momento como esses não é o mais adequado para contratações e altos investimentos em infraestrutura e experimentos. Por essa razão, tenha uma boa gestão para lidar com o momento atual, adaptando a equipe atual para a situação.

Pensar fora da caixa
Para sobreviver a crise, o empreendedor precisa pensar fora da caixa, explorar as tendências (como apps iFood, Uber Eats e Rapi) e modelar o seu negócio para o momento.

A pandemia do novo coronavírus mostra-se um grande desafio para o setor food service. Em pouco menos de 2 meses de isolamento social no Brasil, as consequências já são observadas por pequenos, médios e grandes negócios brasileiros. Nesse momento, o delivery está sendo a melhor alternativa para minimizar os prejuízos. Em contrapartida, especialistas acreditam que os impactos do coronavírus serão ainda mais desafiadores.

Em 2018, a alimentação fora do lar movimentou R$ 205 bilhões no ano, segundo dados do Instituto Foodservice Brasil (IFB). A expectativa era que o setor crescesse ainda mais em 2019 e 2020 mesmo com o país saindo de uma crise. No entanto, institutos, organizações e empresários viram suas projeções irem por água abaixo com a Covid-19.

Já em março deste ano o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel), Paulo Solmucci, afirmou em entrevista à Agência Brasil que o setor sentia os impactos do isolamento. “Entendemos que a queda de faturamento acontecerá, e acreditamos que vai se estabilizar em torno de 30%”, disse, na ocasião.

Além do turismo, o mercado de alimentação será um dos principais afetados, uma vez que aglomera grandes quantidades de pessoas. No Brasil, por exemplo, restaurantes estão com as portas fechadas, tendo que trabalhar com equipes reduzidas, apostando no delivery como forma de minimizar os prejuízos. Mas a queda de faturamento já é notável.

Quais são os impactos do coronavírus no mercado food service?
Na economia brasileira como um todo, a pandemia do coronavírus pode provocar a pior recessão da história do país. O Bank Of America (BofA) informou em relatório que o PIB brasileiro pode cair 7,7% em 2020. Além disso, a desvalorização do real de 45% em relação ao dólar mostra o impacto da crise global.

Quanto aos impactos no mercado food service, ainda não há como mensurar. É preciso esperar para saber o quanto os países e suas economias foram afetadas. Especialistas também ainda não sabem como acontecerá a reversão da crise, por outro lado apostam em um “novo normal” em que os negócios deverão adaptar-se à situação.

Nesse momento, é importante:

Reajustar as metas
A queda nas vendas já é uma realidade para a maioria das empresas do mercado food service. Por esse razão, reajuste o planejamento e a meta dos seus negócios.

Faça simulações de quedas bruscas em suas vendas e analise o efeito em sua receita. Dessa forma, as decisões quanto ao faturamento serão mais assertivas.

Manter comunicação com os fornecedores
Nesse momento de pandemia, certifique que o fornecimento de insumos para a sua rede continuará sendo realizado. Portanto, mantenha a comunicação com os fornecedores.

Para preservar o estoque, algumas redes estão usando técnicas de conservação como Cook Chill e Cook Freeze.

Ter uma boa gestão
Um momento como esses não é o mais adequado para contratações e altos investimentos em infraestrutura e experimentos. Por essa razão, tenha uma boa gestão para lidar com o momento atual, adaptando a equipe atual para a situação.

Pensar fora da caixa
Para sobreviver a crise, o empreendedor precisa pensar fora da caixa, explorar as tendências (como apps iFood, Uber Eats e Rapi) e modelar o seu negócio para o momento.

Seja criativo com os cardápios, priorize o atendimento rápido e personalizado e marque presença nas redes sociais.

inscreva-se para receber noticias

receba nossas novas atualizações

Mais notícias

saude

Como se proteger

As recomendações de prevenção à COVID-19 são as seguintes: Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então

INOVAÇÃO E TECNOLOGIA

FAZEM A DIFERENÇA​

Não encontrou o que procurava?

então, digite o que procura...